Change Management: a mudança não precisa assustar ninguém

Você provavelmente já ouviu, pelo menos de passagem, o termo “change management”, certo? Sendo positiva ou negativa sua resposta, o mais importante é que o motivo desse texto vem para desmistificar o receio por trás desse termo que ainda gera bastante dúvida em muitas empresas. Por mais que a gestão da mudança seja um trabalho muito atrelado ao time de RH, a verdade é que ele pode (e deve) contar com a participação de toda a gestão da empresa para acontecer.

Em meu texto anterior, em que falei sobre a implementação do Scrum em empresas de diversos portes, comento sobre a importância de uma gestão de mudança efetiva para que ela seja promovida com sucesso. Por isso, esse texto vem para explicar como e por que você deve pensar em change management em sua estrutura organizacional.

Para começar, como sempre, é importante entender o conceito de Change Management de acordo com a Prosci, principal certificadora de profissionais da cadeira no mundo todo:

“Change Management é o processo, as ferramentas e as técnicas necessárias para gerir as pessoas em períodos de mudança para atingir o resultado de negócio desejado”.

Em resumo, é um processo que consiste em uma série de atividades voltadas para a melhor adaptação dos colaboradores de uma empresa à mudança. Esse trabalho é importante pois os seres humanos são naturalmente instáveis e tem medo da mudar. Isso se deve, em grande parte, pela mudança normalmente estar ligada à um sentimento de perda. E não há nada que os seres humanos temem mais do que perder.

Um artigo da Psichology Today (escrito por Gustavo Razzetti, especialista em mudança), mostra como boa parte do medo dos seres humanos à mudança está dentro de sua própria cabeça, muito adquirido por parte de seu histórico de vida. Porém, muitas dessas histórias podem ser apenas fictícias, criadas por nossas próprias mentes, para aumentar ainda mais nossa preocupação com um novo cenário.

Por isso, para iniciar um processo de gestão de mudança em seus times, é essencial a presença de um psicólogo com boa capacidade de leitura de cenário e captação dos medos dos colaboradores à alternância de situações.

Os pilares da mudança

Empresas mudam, todos os dias. Mas isso não é, ou não deveria ser, nenhuma novidade para você, certo? E ainda assim, insistimos em nos apavorar quando recebemos aquele e-mail com o assunto “mudanças na empresa”.

Um dos mais conhecidos métodos para implementação de novos rumos dentro de uma empresa é o ADKAR, que consistem em explorar os seguintes pilares:

A mudança da empresa é começa pelas pessoas, não importa qual o tamanho dela. Por isso, o primeiro nível da mudança é o individual. É aqui que se cria a consciência dos indivíduos sobre o atual padrão de comportamento de cada um e a necessidade de se criar um novo hábito, remando a favor de um objetivo evolutivo da empresa. Criada a consciência, é possível gerar desejo em apoiar a mudança.

Com o desejo gerado, é preciso mostrar às pessoas como mudar. Não apenas falando, mas exemplificando como as atitudes de cada um podem contribuir para uma mudança mais sutil e ágil. É preciso, através de técnicas, incentivar os indivíduos a demonstrarem habilidades e aptidões para um novo momento da empresa. As pessoas podem não saber, mas muitas vezes já possuem aquelas skills necessárias.

Por último, o mais importante de todos, é necessário reforçar que um novo comportamento é o reflexo de um novo ideal da empresa e que voltar aos vícios do passado não gera resultado positivo, nem para o indivíduo e nem para a empresa. Esse reforço deve ser dado continuamente, pois o psicológico do ser humano flerta em voltar com um antigo comportamento, mais confortável.

Change Management para a Icon

Na Icon, nossa metodologia de desenvolvimento de projetos é extremamente potencializada por empresas que pretendem implementar ou que já possuem implementada uma gestão de mudança. Isso porque em nosso método, dois pilares importantíssimos estão ligados ao nível individual: PESSOAS e CULTURA.

Sem que as pessoas assimilem, não apenas os objetivos da empresa, mas também os motivos pelos quais elas estão remando para uma nova direção, o avanço de nossa metodologia fica prejudicado. Por isso, recomendamos sempre o trabalho de um escritório especializado em change management sempre que possível.

Sem que as pessoas assimilem, não apenas os objetivos da empresa, mas também os motivos pelos quais elas estão remando para uma nova direção, o avanço de nossa metodologia fica prejudicado. Por isso, recomendamos sempre o trabalho de um escritório especializado em change management sempre que possível.

Nosso processo, pela metodologia do Design Thinking, é sempre voltado para o pensamento disruptivo e aponta para as pessoas a necessidade de se manter em constante evolução, não para que as pessoas estejam sempre em ritmo acelerado, mas para que tenham como estado natural o pensamento inovador, de fazer as coisas de maneira diferente, sempre convivendo com a constante mudança de comportamento dos clientes.

Encarar a mudança de maneira mais natural é essencial para os profissionais de hoje em dia.

Por que, afinal, gerir a mudança?

Ter uma gestão em mudança impacta não apenas no rumo da empresa, mas também no engajamento e satisfação dos colaboradores. Isso resulta em um ambiente mais saudável para promover mudanças e uma melhor aceitação por parte das equipes para faze-las acontecerem.

É importante não apenas gerir, mas criar uma cultura de mudança dentro das equipes. Pessoas prontas para mudar são mais confiantes, inovadoras e abertas para sugerirem novas possibilidades para a empresa. A mudança deve partir de todos, não apenas da direção.

Mudanças são traumáticas em seu ambiente de trabalho? É hora de pensar em como tratar esse processo e como cuidar melhor de seus colaboradores.