UMA CARTA ÀS PESSOAS QUE ACREDITAM NO DESIGN: VAMOS TODOS PASSAR POR ISSO!

Estamos vendo em 2020 a realidade mudar na frente dos nossos olhos. No Brasil, passamos as últimas três semanas cercados de incertezas sobre o futuro e cheio de preocupações sobre o presente. O coronavírus trouxe instabilidade e ruídos para o sistema. E, quando falamos em sistema, não é apenas sobre o de saúde, mas sim na teia social em todo o mundo. E como fica o Design em relação à tudo isso?

Nós, designers, vivemos para solucionar problemas. Simples ou complexos, qualquer ponto de vista é valioso na hora de encontrarmos uma solução. E, é nestes momentos, que nós Designers, entendemos o quão valioso nosso trabalho pode ser para a sociedade.

Olhamos para as pessoas antes de tudo. Trabalhamos para entender seus anseios e desejos, mas, principalmente, suas dores, medos, lacunas e necessidades. E as necessidades humanas passam por diversos assuntos para serem satisfeitas. Resolver todas estas pontas do sistema só é possível se olharmos para a humanidade em primeiro lugar.

Nesse momento, estamos fazendo de tudo para colaborar com a sociedade usando as nossas habilidades. Na próxima semana, o governo do estado de São Paulo receberá um documento sintetizando as dores e soluções propostas para enfrentar a crise do coronavírus em diferentes regiões do estado (pequenas cidades, bairros e até mesmo ruas).

Isso só foi possível, em um tempo tão curto, graças ao nosso Design Sprint realizado por Instagram e LinkedIn. São ideias e soluções geradas pelas pessoas que vivem em cada uma das regiões afetadas pelo isolamento proporcionado pelo COVID-19.

Também vamos rodar outro Design Sprint, com uma equipe multidisciplinar, tentando desenhar um respirador de baixo custo para ajudar o máximo de pessoas. Onde for possível chegar com nossa solução.

Mas não foi sobre nós que vim falar, é sobre todos nós. Juntos, e ao mesmo tempo separados.

Estamos sendo forçados a nos distanciar. Contanto, estamos reaprendendo, curiosamente, a elevar o nível de humanidade entre nós mesmos. E como vamos sair desse tempo de inquietude? Isso só o tempo e as pessoas poderão dizer. E fazer.

Os negócios irão se transformar. Aqueles que são orientados simplesmente por números ficarão para trás. Cada vez mais está claro que somente empresas que levam em consideração o lado humano prosperarão.

E este momento inédito que estamos vivendo mostrará que nem sempre o que achamos que é certo e o melhor, é na realidade o que as pessoas querem. É provável que vivamos menos na dualidade do sim e não, e mais no entendimento da pluralidade humana.

Parece que é exatamente essa a lição que já aprendemos em tão pouco tempo: humanizar! Entender cada indivíduo é importante para desenvolvermos as soluções e entregarmos valor de verdade para as pessoas.

Somente entendendo a vida e a realidade das pessoas que conseguimos mudar superar os desafios.

O home-office parece disruptivo para muita gente. A verdade é que ele já é o passado e você apenas foi forçado a entrar nele de cabeça graças a um imprevisto gigantesco que modificou a estrutura da sociedade por um momento.

Pense além, pense sempre em como seu negócio pode ser, cada vez mais, de grande utilidade para as pessoas que têm problemas diários para resolver. Como você poderá fazer parte da história delas?

Pense além, pense sempre em como seu negócio pode ser, cada vez mais, de grande utilidade para as pessoas que têm problemas diários para resolver. Como você poderá fazer parte da história delas?

Devemos ver mudanças na maneira como trabalhamos e consumimos ao final desta crise. Qual exatamente será esta mudança? Ainda não sabemos.

Porém, empresas com um propósito claro e voltado para a sua relação com as pessoas se tornarão ainda mais fortes em épocas de crise. As que não possuem irão claramente sentir a falta desse direcional em um momento tão complexo quanto o que vivemos.

Muitos economistas já dizem que esta será a pior crise econômica da era moderna, sendo comparável apenas com as recessões pós-guerra, vividas por nossos pais e avós. Muitos hábitos mudarão e somente olhando e entendendo as pessoas é que as empresas poderão desenhar soluções para um novo momento.

Como designers, não poderíamos deixar de pensar em soluções, simples e complexas, para o que pode ser um novo momento.

Como designers, não poderíamos deixar de pensar em soluções, simples e complexas, para o que pode ser um novo momento.

Contem conosco para um novo tempo, onde as pessoas e a humanidade falarão mais alto e serão a base para a revolução tecnológica.

Seguimos desenhando o futuro.

Luiz Felipe Di Lorenzo e Luiz Otávio Mariano

CDO e CPO da Icon Design.